Responsabilidade Social

Capelania Hospitalar Voluntária

A Santa Casa de Mogi Mirim implantou o ministério de Capelania Hospitalar Voluntária, com o objetivo de oferecer uma assistência espiritual aos usuários e colaboradores do Hospital que desejarem. Por isso, o atendimento da Capelania Hospitalar é diário e gratuito.

Para ser um Agente de Capelania Hospitalar é preciso ser membro de uma denominação religiosa, ter mais de 18 anos e participar de um Curso de Capacitação de Agente de Capelania Hospitalar Voluntária oferecido pela Santa Casa.

Este curso tem o objetivo de orientar os Agentes sobre a prática da visita hospitalar, os requisitos básicos do visitador, o relacionamento com os profissionais da saúde, aconselhamento a familiares, visitação a pacientes terminais, sugestões de liturgia e regras hospitalares, entre outros temas.

Contato: (19) 3814-3062 |  E-mail: capelania@santacasamogi.com.br

Grupo Alegra

O Grupo Alegra é um projeto do Colégio COC – Unidade Mogi Mirim, pelo qual alunos, pais e professores têm ajudado a Santa Casa com doações de fraldas descartáveis e brinquedos para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

O Grupo Alegra realiza visitas mensais à Pediatria, interagindo com as crianças e os adolescentes internados, com diversas brincadeiras, música, mímica, joguinhos, estórias e outras peripécias dos “Doutores da Alegria”.

Grupo de Trabalho de Humanização

O Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) é integrado por profissionais de diferentes áreas do Hospital. Essa diversidade de conhecimento tem contribuído para o desenvolvimento de projetos, visando à humanização da assistência e a humanização no ambiente de trabalho.

Com o apoio do GTH, a Santa Casa implantou o serviço de Ouvidoria para ouvir as sugestões, reclamações, elogios e solicitações dos usuários, a Visita Aberta que estendeu o horário de visitação às Unidades de Internação das 12h00 às 19h00, a Clínica Ampliada que permite que o paciente seja assistido por uma equipe multidisciplinar, o Programa de Acolhimento com Avaliação e Classificação de Risco na Unidade de Urgência e Emergência, que estabelece que os casos mais graves deverão ser atendidos primeiro e a instalação de televisores em todos os apartamentos das alas SUS.

O GTH também apoiou o projeto de uniformização dos colaboradores e a implantação dos Projetos Pé de Anjo, que presenteia cada bebê que nasce na Santa Casa. Tem também o Bingo Recreativo para os pacientes do Centro de Terapia Renal Substitutiva.

O Grupo de Trabalho de Humanização coordena a manutenção das Equipes Multidisciplinares, o Sistema de Referência e Contra-referência, auxilia a permanência do projeto de orientação e acolhimento à gestante (“Programa Mater & Care”) e participa da elaboração e realização da “Semana da Humanização” para os colaboradores.

Músicos da Alegria

Os Músicos da Alegria são voluntários que trazem a arte da música a todos os setores do hospital, através do violino, flauta, coral e violão, com diversas composições executadas.

Programa Mater & Care

O Programa Mater & Care visa preparar a futura família para o momento do parto, oferecendo à 1ªterça-feira do mês das 19h00 às 20h00 o curso de acompanhantes.

Este curso tem por objetivo indicar os procedimentos para o acompanhante na hora do parto, sendo pré-requisito para que a pessoa acompanhe a gestante quando esta estiver em trabalho de parto.

Inscrições e informações pelo telefone (19) 3814-3000.

Projeto Pé de Anjo

O Projeto “Pé de Anjo” foi criado em 2011, com o objetivo de presentear todos os recém nascidos com uma singela lembrancinha que marque o dia do seu nascimento na Santa Casa de Mogi Mirim.

Com o apoio da loja de artigos infantis “Copo de Leite – Meu bebê”, todas as mamães internadas pelo Sistema Único de Saúde, particular e pelos demais convênios atendidos, são presenteadas com uma lembrancinha personalizada.

UAI – Unidade de Alegria Intensiva

Desde 2006 a Unidade de Alegria Intensiva vem realizando seu trabalho, com participação inicial de 15 voluntários. Hoje, o grupo conta com cerca de 50 colaboradores, que se mostram totalmente dispostos e dedicados quando o assunto é fazer o bem.

Com o passar dos anos, aumentou não só a quantidade de pessoas envolvidas no grupo, mas também, a qualidade dessa relação tão valiosa para o ser humano. Por meio de brincadeiras, conversas e piadas, os Doutores do UAI buscam inserir o palhaço, típico bobo da corte, em um ambiente improvável, mas, não inadequado, o hospital. Desde então, e ao longo de cada ano, o grupo visa se aperfeiçoar com treinamentos, a fim de maior capacitação e qualificação para as mais diversas situações.

O grupo busca espalhar alegria e colher sorrisos por onde passa, promovendo a alegria como o bem maior, estimulando o imaginário e a espontaneidade, despertando a ternura e favorecendo a interação. Essa relação entre palhaço e homem nunca foi tão certeira.

O grupo entende e enfatiza a importância de um trabalho do gênero, levando para cada atuação valores como: alegria, motivação, confiança, dedicação e compromisso, e reforça que o trabalho voluntário deve ser tratado com extrema cautela e responsabilidade.